Livro insere a criança no universo geek

"Almanaque histórias em quadrinhos de A a Z" mergulha o pequeno leitor nas descobertas das áreas de ciência e tecnologia, estimula a criatividade e resgata a memória dos quadrinhos.

 

download

Divulgação

 

 

Mundinho Geek nasceu no formato de evento em fevereiro de 2016, no Rio de Janeiro, com uma série de atividades para crianças até 12 anos. Com uma programação que contou com oficinas de culinária, astronomia, robótica, desfile de cosplay e uma festa baby boom, o sucesso do evento inspirou a criação da coleção que, na sua estreia, apresenta para a criança o universo das HQs.

 

O "Almanaque histórias em quadrinhos de A a Z", lançamento da editora Ciranda Cultural, é um manual para crianças que se interessam pelo universo geek. A obra estimula a leitura, a criatividade e também é voltada para pais que compartilham interesses em comum com seus filhos.

 

No Almanaque procuramos mostrar alguns dos personagens do universo dos quadrinhos mais importantes e conhecidos – Conta uma das autoras da obra, Juliana Kaiser  O principal critério de escolha foi representatividade e escolhemos um personagem para cada letra do alfabeto. Selecionamos tanto personagens masculinos como femininos, de várias editoras e épocas, origens e etnias, procurando sempre explorar a diversidade.  O livro mostra também como é produzida uma HQ, quais são os profissionais envolvidos na criação, desfaz alguns mitos como, por exemplo, o de que histórias em quadrinhos são apenas para meninos, dá muitas dicas de leitura e termina ensinando o leitor a criar a sua própria HQ.

 

"Almanaque histórias em quadrinhos de A a Z" abre com uma linha do tempo, que passeia pelas principais décadas importantes do universo das HQs. A criação de personagens como o Gato Felix, Mickey Mouse, Recruta Zero, Mônica, Mafalda, Garfield, entre outros, é pontuada com algum fato científico, como o Nobel de Física de Albert Einstein, a chegada do homem à Lua, o nascimento da ovelha Dolly etc. O livro possui também um glossário, que está no final da obra. Nele a criança encontra o significado de todas as palavras destacadas.

 

Esse é o primeiro livro da coleção, em outros volumes pretendemos abordar os outros aspectos da cultura pop e nerd como, por exemplo, desenhos animados, vídeo games, mangás, cinema, entre outras possibilidades  Explica Juliana Kaiser  Em breve, o evento Mundinho Geek desembarcará em São Paulo e em outras capitais. Até aqui, já realizamos cinco encontros, dentre os quais: o Geek & Game Rio Festival, o aniversário do Planetário e a produção da área infantil Geek & Quadrinhos na Bienal do Livro do Rio –Finaliza a autora.

 

Almanaque histórias em quadrinhos de A a Z

Editora: Ciranda Cultural

Pág: 128

Autores: Juliana Rodrigues Kaiser e Aurea Gil

Preço: R$ 24,90

Última atualização em Qui, 19 de Outubro de 2017 16:26
 

Vale conferir Bom Comportamento

warplp292 oneohtrix point never cover

Foto: Divulgação

 

“Good Time” no original, é um filme tenso, dinâmico e que você não espera ver o que vê na tela e isso é muito bom!

 

A direção ficou por conta dos irmãos Ben e Joshua Safdie, que dão ao longa um ritmo acelerado, com uma câmera nervosa e muitos closes.

 

Logo na primeira cena, já percebemos o quão tenso o filme vai ser, pela proximidade da câmera nos personagens.

 

Em uma sala, um psicólogo entrevista Nick, que é um rapaz que tem alguma deficiência mental e está visivelmente abalado e tenso.

 

Quando a consulta dá sinal de que está progredindo, Connie, seu irmão, irrompe na sala e leva Nick dali, forçosamente.

 

O plano de Connie é assaltar um banco junto com seu irmão e faz isso, mas durante o assalto algumas coisas dão errado e uma perseguição furiosa começa arrastando os dois para lugares inesperados.

 

Nick se machuca durante a perseguição e é preso, Connie inicia aí uma fuga sem limites e planeja resgatar o irmão, que está internado em um hospital e vigiado por policiais.

 

Este é o início de um período onde crimes vão acontecer rotineiramente na vida dos dois.

Uma sequência de diferentes personagens e fatos absurdos se sucedem e os irmãos vão ter que enfrentar seus destinos.

 

O que é interessante nessa história é que Connie não precisava do irmão para fazer as coisas que faz, mas ele parece ter um sentimento muito grande de amor e companheirismo por ele, que o leva a fazer tudo o que faz.

 

 

O longa surpreende pela história e também pelas atuações, que são muito boas, com destaque para Robert Pattinson que entrega um personagem nervoso, cheio de adrenalina, mas que sabe parar e pensar nos momentos de tensão, que nesse filme são muitos.

 

Enfim, um filme que fala da vida desregrada de bandidos que levam a vida brutalmente, dia após dia, como uma coisa normal.

 

 

Apesar do mote, a história fala também de amizade e companheirismo, por mais que esses sentimentos possam ser deturpados por seus personagens.

 

 

Título Original: Good Time

Gênero: Suspense/Policial

Duração: 1 hora e 41 minutos

Ano de Lançamento: 2017

Direção: Ben Safdie e Joshua Safdie

Elenco: Robert Pattinson, Ben Safdie, Buddy Duress, Taliah Webster, Jennifer Jason Leigh, Barkhad Abdi, Rose Gregorio, Gladys Mathon.

RITA VAZ

TUDO SOBRE FILMESwww.ritavazm.blogspot.com.br

Última atualização em Qui, 19 de Outubro de 2017 16:57
 

Estreando Além da Morte

“Flatliners” no original é uma refilmagem do filme homônimo de 1990, que fez muito sucesso e foi estrelado por Julia Roberts, Kevin Bacon e Kiefer Sutherland que participa do novo longa.

A trama gira em torno da estudante de medicina Courtney que pesquisa sobre a existência de vida após a morte.

Ela quer fazer experimentos com ela mesma para saber se essa vida realmente existe.

Para tal, ela conhece um local no hospital onde trabalha que tem todos os aparelhos necessários para ressuscitação, e que não é visitado, um lugar seguro.

Mas, para conseguir “morrer e reviver”, ela precisa da ajuda de outras pessoas.

É aí que ela convida quatro amigos para a ajudarem na experiência.

Depois do início, quase todos vão querer participar dela, mas eles não imaginam que algo, muito além da compreensão deles, vai segui-los de volta para a vida.

Eles passam a ter visões amedrontadoras, e não conseguem explicar o pavor que começam a senti e passam a ser perseguidos pelos seus piores pesadelos.

A trama do novo filme difere um pouco do anterior, alterando as histórias e medos de cada personagem, portanto se torna uma releitura.

O destaque do filme vai para o elenco que está muito bem e entrosado em cena, e para a direção, que faz um bom trabalho, entregando um filme dinâmico.

A história tenta passar uma lição de moral sobre comportamento e responsabilidade, mas além de ser um tema batido, ele acaba parecendo uma solução fácil para os personagens.

Apesar de ser recheado de clichês e ter alguns furos no roteiro, o filme entretém, assusta e deixa o espectador curioso, afinal todo mundo quer saber o porquê, quem ou o que está atrás dos personagens.

Uma ótima opção para quem gosta de terror e de suspense e para quem assistiu ao filme de 1990 e está curioso com as inovações que este novo possa ter.

Título Original: Flatliners

Gênero: Suspense/Terror/Ficção

Duração: 1 hora e 49 minutos

Ano de Lançamento: 2017

Direção: Niels Arden Oplev

Elenco: Ellen Page, Diego Luna, Nina Dobrev, James Norton, Kiersey Clemons, Kiefer Sutherland, Beau Mirchoff, Tyler Hynes.

RITA VAZ

TUDO SOBRE FILMES – www.ritavazm.blogspot.com.br

 

Espelho, espelho meu

A paulistana Larissa Siriani participa da coletânea de releituras de contos de fadas, Princesas GPower, no qual demonstra que poder de uma princesa não se mede na fita métrica

 

Larissa SirianiLarissa Siriani

 

Sensualidade e charme não possuem a menor relação com o peso e sim com a autoestima e aceitação. As mocinhas dos clássicos nunca mais serão as mesmas!

A escritora Larissa Siriani participa da coletânea de releituras de contos de fadas, Princesas GPower, publicada pela editora Qualis. As tramas são escritas a partir das histórias Cinderela, Pequena Sereia, Malévola e Bela Adormecida.

Todas as narrativas são abordadas da perspectivas do universo de mulheres plus size, empoderadas e altamente femininas. Larissa Siriani, Janaina Rico, Mila Wander e Thati Machado demonstram que para ser princesa não precisa estar dentro dos padrões de beleza impostos pela sociedade.

Uma estudante de medicina encontra o amor verdadeiro. Uma jovem órfã descobre que seus pais estão vivos. Uma moça com medo do mar se arrisca em um cruzeiro. Uma garota acha o seu lugar em uma nova cidade. Todas acima do peso, mas fortes e decididas, dignas dos mais belos contos de fadas.

O fato de serem gordas, não impedem as protagonistas Kai, Rosa, Cindy e Malena de serem as verdadeiras princesas e merecedoras de príncipes encantados, bailes, mistérios e sapatos de cristal.

Com tramas leves e divertidas, Larissa Siriani, Janaina Rico, Mila Wander e Thati Machado mostrarão que existe apenas uma regra para sermos verdadeiras princesas: temos que nos permitir um felizes para sempre.

imagem release 1102721 medium
Princesas GPower Divulgação | Qualis

SOBRE A AUTORA:  Larissa Siriani descobriu que queria ser escritora ainda criança. Encorajada pela família desde cedo a contar histórias, decidiu correr atrás de seu sonho quando em 2009, aos 17 anos, publicou o livro Toda Garota Quer de maneira totalmente independente. Em 2010, também de forma independente, publicou os livros de fantasia Vermelho Sangue e Ardente Perigo. Em 2011, publicou a primeira edição de As Bruxas de Oxford, relançado em 2013, seguido de sua sequência, O Coração da Magia, em 2014. Em 2015, concluiu a trilogia iniciada com As Bruxas de Oxford publicando O Senhor das Almas. 

Em 2015, lançou Amor Plus Size, livro originalmente escrito em 2012, mas que foi retrabalhado incansavelmente até chegar às livrarias em 2016 pela Editora Verus, do Grupo Editorial Record, sendo sucesso de vendas durante a Bienal do Livro de São Paulo do mesmo ano. Além de dedicar-se à escrita, Larissa é professora de inglês e comanda um canal no YouTube onde fala sobre livros e dá dicas de escrita. Formada em Audiovisual pelo Centro Universitário Senac, é co-criadora e diretora da websérie Dona Moça, uma adaptação de Senhora, de José de Alencar, que foi exibida no YouTube entre 2015 e 2016.   

Última atualização em Qui, 19 de Outubro de 2017 15:06
 

Crise dos 30 anos: Como superá-la?

Dilemas, motivações e desafios que surgem por volta dos 30 anos

foto

As pessoas na faixa dos 30 anos estão, de acordo com a psicologia, próximos a um período chamado “meio da vida”, caracterizado por muitas mudanças, um momento de balanço e revisão do que foi feito até ali e que servirá de base para as escolhas que virão a seguir. Estudos e pesquisas acerca dessa fase sempre existiram, porém, hoje em dia, como o mundo se tornou mais dinâmico e o leque de possibilidades é cada vez mais amplo, a crise dos 30 anos tornou-se mais evidente. “A diferença é que hoje temos uma permissão social para falar sobre o desejo de seguir um caminho e trabalhar com algo que faça sentido para nós”, esclarece Bruna Tokunaga Dias, especialista em orientação profissional.

Motivada pelos comportamentos peculiares da geração com 30 anos, Bruna resolveu sair da superfície de hipóteses e estereótipos para entender o que há por trás das dúvidas, dilemas e angústias que, muitas vezes, causam inclusive depressão. “Seria a faixa dos 30 anos um possível prolongamento da adolescência ou sobre uma segunda dose da fase típica da juventude? Ou seria realmente uma antecipação das questões antes vividas aos 40? Ou será que os 30 são os novos 20 e, portanto, estamos mais imaturos e lentos do que nossos pais e avós em alguns aspectos”, questiona Tokunaga, que mergulhou num mestrado e levou a fundo uma grande pesquisa sobre o assunto.

Segundo a psicóloga constatou em sua pesquisa, nessa fase, as pessoas começam a se perguntar se faz sentido passar 12 ou 15 horas por dia dentro de uma empresa, visto que o corpo e a cabeça começam a dar sinais de insatisfação. “Começam a repensar suas escolhas, tem mais perguntas do que respostas. Se não estão felizes, o resto da vida parece tempo demais para seguir pelo mesmo caminho”, diz.

Sintomas de uma crise aos 30 anos

Bruna foi ao mesmo tempo pesquisadora e objeto de pesquisa. Seu mestrado rendeu o livro recém-lançado “A crise dos 30: a adolescência da vida adulta”, pela editora Integrare.  Ela constatou que, a partir das questões de carreira, as pessoas mobilizam questionamentos existenciais que geram impactos, além do âmbito profissional.

A turma dos 30 anos já tem atitudes diferentes de outras gerações e tendem a focar em questões individuais, mais que no começo dos anos 2000. Segundo o IBGE, os brasileiros estão indo cada vez mais tarde para o altar. E, com a tendência de adiar o casamento e a chegada dos filhos – que deixaram de ser socialmente “obrigatórios”, o foco de muitos jovens acaba sendo a carreira. “É como se fosse um mantra: primeiro vou resolver minha vida profissional, até porque atualmente a carreira ser bem-sucedida é responsabilidade de cada um e não mais da empresa”, comenta Bruna, dando destaque a uma mudança de paradigma, um reflexo do conceito sociedade líquida.

O ponto crucial é que, em geral, na faixa dos 30 anos, a carreira, para muitas pessoas, se confunde com a própria identidade. “Retomam questionamentos internos comuns na adolescência e quando essas questões são colocadas diante de inúmeras possibilidades, as decisões ganham um peso, muitas vezes, difícil de suportar. E a saída, consciente ou inconscientemente escolhida por alguns, é adiar essa decisão o máximo possível. Outros acabam se deixando levar por idealizações sobre o trabalho e não raro fazem escolhas que não se sustentam por muito tempo”, aponta Bruna.

Segundo Bruna, em médio e longo prazos, a insistência em seguir a cartilha de uma “vida normal” e o evitar os riscos de uma mudança, a despeito dos questionamentos e dos desconfortos internos, cobra seu preço e traz certas frustrações e instabilidade nas emoções. Dessa forma, com o tempo aparece uma dificuldade comum entre os jovens de 30 anos: conciliar expectativas e realidade.

O conselho de Bruna para reverter esse quadro de insatisfação evidente é: “Os 30 anos são a adolescência da vida adulta, um convite ao amadurecimento. O momento de olhar para trás e entender o que foi construído até ali. É hora, então, de olhar para frente, de ajustar a rota e seguir viagem com a bagagem atualizada. Mas, para que esse caminho seja sólido e iluminado, é preciso, entre a chegada e a partida, olhar para dentro e se perguntar: a quem serve isso que estou fazendo? Em momentos difíceis, busque fazer a escolha o melhor possível. Para isso, faça uma lista de prós e contras e anote as razões pelas quais escolheu por um determinado caminho. Ao olhar para trás, ao invés de sentir-se frustrado com o que aconteceu e não aconteceu, lembre-se de que fez a melhor escolha possível naquela situação”, conclui a especialista.

Sobre Bruna Tokunaga Dias

Bruna Tokunaga Dias é psicóloga especialista em transições de vida e carreira e mestre em Psicologia Clínica - Questões de Carreira na Atualidade – ambas formações pela PUC/SP. Com vivência de mais de 10 anos em recrutamento, seleção e desenvolvimento de pessoas, Bruna atua com projetos corporativos especiais sobre transições e desenvolvimento de carreira e também com atendimentos individuais. E, na Cambridge Family Enterprise Group, lidera projetos de planejamento estratégico familiar, governança e desenvolvimento da próxima geração para famílias empresárias. Anteriormente foi Consultora e Head da área de Carreiras do Grupo DMRH/ Cia de Talentos.

Última atualização em Qui, 19 de Outubro de 2017 14:29
 

Quero a Felicidade

Com centenas de milhares de seguidores, a youtuber Fabiana Bertotti lança a obra Onde mora a felicidade? E diz que é possível ser feliz valorizando os pequenos momentos no dia a dia.

 

photo

Divulgação

Emagrecer, encontrar um amor, cabelo liso ou enrolado, ganhar na loteria, mudara de carro, a lista é enorme, certo? Porém, nenhum desses aspectos garante a satisfação do ser humano.  Em Onde mora a felicidade? – publicado pelo selo Pórtico, da Editora Planeta –, a youtuber evangélica Fabiana Bertotti afirma que a felicidade é fruto de momentos simples e cotidianos.

É muito comum hoje os usuários das redes sociais acreditarem que a satisfação pessoal é algo pronto e que, na mesma medida, o que serve para um vai funcionar para o outro. E a Fabibiana vem para mostrar que não, e discursa sobre a individualidade dos momentos importantes. Cada um deve descobrir o que lhe faz feliz e pronto.

Para descobrir que caminho seguir é necessário fazer escolhas e medir aonde elas o levará. A youtuber de sucesso pontua que as pessoas devem olhar para dentro de si mesmo e pensar bastante sobre o que realmente é sinônimo de alegria.

Vamos concordar que pensar dói e é quase físico. Analisar possibilidades, prever consequências, ponderar imprevistos, calcular rotas de fuga, ajustar o caminho, o ritmo, a força... tudo isso requer muito de nós. Mas, como se trata da sua vida, e também da minha, não podemos terceirizar essa tarefa, jogando no colo de outra pessoa.

Em Onde mora a felicidade? – publicado pelo selo Pórtico, da Editora Planeta – Fabiana Bertotti auxilia o leitor a alcançar a felicidade por meio da busca de si mesmo, mostrando os valores mínimos para nortear esta caminhada que levará ao autoconhecimento.

 

Sobre a autora:

Fabiana Bertotti é jornalista, escritora, palestrante e youtuber. Em seu canal do YouTube, discute temas que afetam a mulher. Com mais de quatrocentos mil seguidores e milhares de visualizações diárias, ela é um dos fenômenos da nova geração de criadores de conteúdo para a internet. Evangélica, apresenta visões pouco convencionais sobre vários temas, gerando reflexões interessantes. Vive na Suíça com seu marido e filho e é apaixonada por tecnologia.

 liDivulgação | Pórtico

Ficha técnica
Onde mora a felicidade?
Selo Pórtico

ISBN: 978-85-422-1103-0
Páginas: 191
Preço: R$ 32,90

Última atualização em Qua, 18 de Outubro de 2017 17:51
 


Página 1 de 117
Copyright © 2011 Acontece Curitiba. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por LinkWell.