Espetáculo Coração , da Obragem de Teatro, que fará temporada em Curitiba de 19 de abril a 6 de maio.

“Coração”, novo espetáculo do Grupo Obragem de Teatro, é uma resposta lírica para as angústias da realidade atual, originárias do comportamento humano e das manipulações políticas. A pesquisa partiu do estudo das obras do escritor e jornalista uruguaio Eduardo Galeano, autor de “As Veias Abertas da América Latina”, e o resultado é um texto original que chega ao palco reunindo elementos multiartes, leitura de fatos históricos, filosofia e uma boa dose de crítica. A temporada é de 19 de abril a 6 de maio, no Espaço Obragem – Criação e Compartilhamento Artístico, com ingressos a preços populares.

A peça é dividida em dois atos independentes, porém conectados. O primeiro, “Coração”, é um solo interpretado pela atriz convidada Greice Barros, no qualreal e fantástico se misturam no devaneio de um anjo perturbado, que incansavelmente busca religar o ser humano as suas qualidades essenciais. Em “O Céu de Valentim”, segundo ato, Eduardo Giacomini e Olga Nenevê encenam a jornada fantástica de um menino que recebe a visita de um anjo e parte em busca de seu pai, na companhia de sua avó. O confronto entre a pobreza e as surpresas do caminho redimensionam os espaços do corpo, da natureza e da possibilidade de reescrever a própria história.

O texto e a direção são de Olga Nenevê, que acredita na pertinência do espetáculo frente ao momento de violência e intimidação contra a oposição política e os defensores de direitos humanos no Brasil. “Em 2014, quando começamos a pesquisa, as tensões sociopolíticas da época direcionaram nossas escolhas, os recortes que foram a base da criação. Mas agora, diante dos acontecimentos mais recentes no Brasil, é fundamental levar “Coração” aos palcos”, comenta Nenevê.

Dramaturga, diretora e atriz, considerada uma das principais referências do teatro curitibano contemporâneo, O. Nenevê encabeça a Obragem ao lado de Eduardo Giacomini, figurinista, cenógrafo e ator. Para ele, um dos pontos determinantes na produção de “Coração” são as parcerias: “A artista Marila Velloso, há mais de 14 anos, desenvolve conosco interações entre o Body Mind Centering – BMC, a dança contemporânea e os escritos de A. Artaud, para endossar a ideia de que é o corpo o lugar dos acontecimentos. Os outros envolvidos no projeto já possuem uma forte relação com a companhia ou foram convidados porque admiramos os seus trabalhos. A ideia é que a troca faça da criação algo pulsante.”

Além de Vadeco Schettini nas composições originais, profissional com um vasto portfólio onde se destacam as trilhas e sonoplastias para cinema, teatro, dança e seriados de TV no Brasil e exterior, a equipe da peça “Coração” ainda conta com:Paulo Vinícius nos Figurinos; Lídia Ueta nas projeções e fotos; Elenize Dezgeniski em teaser e fotos; Lucas Amado na Iluminação; Maria Adélia na confecção dos bonecos; Alessandra Nenevê como designer gráfico; e Luciana Melo como assistente de produção e assessora de comunicação.

A produção ofertará uma oficina gratuita de 28 a 30 de maio, a partir da experiência de montagem da peça, intitulada “A vibração das camadas de presença do intérprete criador para a construção da cena”. O espetáculo também fará 10 sessões gratuitas, ofertadas para escolas e instituições indicadas pelas Regionais da capital. A realização é do Grupo Obragem de Teatro, com produção da EGM Produções Artísticas. “Coração” tem apoio da BDrops, incentivo do Grupo Positivo e do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba.

GRUPO OBRAGEM DE TEATRO

Criado pelos artistas Eduardo Giacomini e Olga Nenevê, o Grupo Obragem de Teatro é caracterizado por seu perfil investigativo e pela construção de uma linguagem particular de expressão artística. Trabalha em ações integradas de criação, intercâmbios artísticos e formação de plateia, sempre acreditando na arte como meio de transformação dos modos de agir, pensar e participar da sociedade. Com sede em Curitiba, surgiu em 2002 e totaliza 21 produções entre público adulto e infantil, circulou por várias cidades do Brasil e, também em Lisboa/Portugal.

Participou de importantes eventos culturais como:Festival Internacional de São José do Rio Preto; Festival Internacional de Londrina - Filo; circulou pela Caixa Cultural, SESI/SP e SESI/PR.Realizou, com o Prêmio Myriam Muniz de Teatro da Funarte, as ações “Dossiê Buchner – pesquisa e montagem” em 2010 e “Obragem Circula Presenças” em 2015. Ganhou o Prêmio Arte Paraná da Seec-PR e o Prêmio Funarte Myriam Muniz de Teatro com a montagem “Essencial” de 2014; e o Troféu Gralha Azul nas categorias de melhor texto original e melhor iluminação com “As Tramoias de José na Cidade Labiríntica” de 2012. Entre suas produções de destaque está “Cristiano – O Cão Louco” de 2013, com participação especial do ator Leandro Daniel, hoje no elenco da novela “Deus Salve o Rei”. Para mais informações, acesse www.grupoobragemdeteatro.com.br.

FICHA TÉCNICA:

CORAÇÃO
Texto e Direção: Olga Nenevê
Assistente de Direção e Cenário: Eduardo Giacomini
Interpretação: Greice Barros
Direção de Movimento e Preparação Corporal: Marila Velloso
Trilha Musical Original:
Vadeco Schettini
Figurino: Paulo Vinícius
Iluminação e Operação de Luz: Lucas Amado

O CÉU DE VALENTIM
Texto: Olga Nenevê
Direção e Interpretação: Eduardo Giacomini e Olga Nenevê
Projeções: Lídia Ueta
Preparação Corporal: Marila Velloso
Trilha Musical Original:
Vadeco Schettini
Figurino: Eduardo Giacomini
Confecção de Boneco (cobra-dragão): Maria Adélia
Iluminação e Operação de Luz: Lucas Amado

EQUIPE DO PROJETO
Teaser e Fotos (divulgação e registro): Elenize Dezgeniski
Registro em Vídeo: Lídia Ueta
Assistente de Produção e Assessoria de Comunicação: Luciana Melo
Designer Gráfico: Alessandra Nenevê
Responsável Técnico de Som e Luz: Lúcio Nogueira
Produção: EGM Produções Artísticas

Serviço - Espetáculo Coração

Drama

Local: Espaço Obragem

Alameda Júlia da Costa, 204. São Francisco. Curitiba-PR

Temporada: 19 de abril a 06 de maio (quinta a domingo)

Horário: 20h

Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia).

Pagamento: Cartões e dinheiro.

Lotação: 40 lugares

Duração: 1h30

Classificação indicativa: Livre

Informações e reservas: 41 3077-0293 ou por WhatsApp 41 99206-0284

Facebook: @obragem

Serviço – Oficina Gratuita

A vibração das camadas de presença do intérprete criador

para a construção da cena

A partir da experiência de montagem da peça CORAÇÃO, os artistas Olga Nenevê e Eduardo Giacomini compartilham procedimentos, referências e criam condições para a experimentação teórica e prática artística dos participantes.

Local: Espaço Obragem

Alameda Júlia da Costa, 204. São Francisco. Curitiba-PR

Data: de 28 a 30 de maio (segunda a quarta)

Horário: das 18h às 21h

Lotação: 20 vagas

Público-alvo: adultos, interessados em geral (artistas e não artistas).

Pré-requisito: ter assistido a peça "Coração" ou "O céu de Valentim"

Inscrições: enviar minibiografia com manifestação de interesse para o e-mail

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. até 15 de maio.

 

Última atualização em Qua, 18 de Abril de 2018 08:29
 

Manotas Musicais por Grupo Trampulim

Uma das maiores companhias de circo do Brasil, o Grupo Trampulim, que completa 24 anos de atividades, alia a linguagem do palhaço à música e à improvisação num espetáculo cheio de humor para todas as idades

A CAIXA Cultural apresenta ao público de Curitiba um dos mais divertidos espetáculos de palhaços. "Manotas Musicais" conta as peripécias dos palhaços Benedita Jacarandá e Sabonete que decidem ser músicos clássicos. Para isso, convidam uma banda composta por três atrapalhados integrantes. No meio da performance, Benedita e Sabonete também resolvem ser maestros e transformam a plateia em orquestra, gerando situações que arrancam gargalhas do público. Com um repertório eclético, jogos musicais e gags tradicionais de palhaço, Benedita e Sabonete conduzem o espetáculo de maneira divertida e surpreendente.

"Manotas Musicais" utiliza 250 tambores como forma de comunicação e aproximação com o público, propondo que o mesmo se torne protagonista e integre o espetáculo. Os tambores são distribuídos durante a apresentação. Aliado a esta proposta musical está o jogo do palhaço. Nesse espetáculo, as gags tradicionais ganham nova roupagem e são um convite ao riso e à inversão da lógica. O repertório deste espetáculo vai desde "O Trem caipira", de Heitor Villa Lobos, a músicas inventadas pela banda de palhaços.

Sobre o Grupo Trampulim

O Grupo Trampulim é uma das maiores companhias de circo do Brasil. Criado em 1994, já criou 18 espetáculos e recebeu diversos prêmios. Especializou-se na linguagem do palhaço que, aliada à música e à improvisação, forma o eixo artístico da companhia. Reconhecido por sua maneira autêntica de se comunicar com o público, realiza turnês no Brasil e no exterior. Também desenvolve diversos projetos sociais para empresas.

É formado por um grupo de artistas comprometidos em fazer de sua arte uma ferramenta para surpreender, emocionar e transformar as pessoas. Por meio de espetáculos, oficinas e workshops, o Grupo Trampulim difunde seu trabalho artístico e pedagógico e aprimora o seu olhar e a sua maneira de lidar com a arte do palhaço.

Oficina "O Jogo do Palhaço"

Prevista para os dias 12 e 13 de abril, a oficina "O Jogo do Palhaço" será ministrada por artistas do Grupo Trampulim na CAIXA Cultural Curitiba. A oficina é voltada a atores e interessados pelas artes circenses com idade a partir de 16 anos. Permite ao participante compartilhar caminhos e métodos eleitos pelo Grupo Trampulim durante sua trajetória que levam à descoberta, construção e desenvolvimento de um "estado fértil" para o desenvolvimento do palhaço.

O trabalho se baseia na metodologia da canadense Sue Morrison denominada "O Clown através das máscaras". Realiza, a partir de improvisações, jogos e exercícios corporais específicos que permitem o reconhecimento e a manutenção da inspiração, intuição, entrega e criação, entre outros pré-requisitos para o jogo do palhaço. Na oficina, os participantes aprendem que ser palhaço ultrapassa a condição de fazer graça. Requer escuta, sensibilidade e presença ativa, dentre tantos outros requisitos. A profundidade e a interdisciplinaridade dessa condição exigem que o aprendiz, artista ou amador, lance mão de vários saberes para alcançar a condição de simplesmente ser um palhaço.

 

 

Serviço

Teatro: Manotas Musicais por Grupo Trampulim

Local: CAIXA Cultural Curitiba. Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR).

Data:14 e 15 de abril de 2018 (sábado e domingo)

Horário:sábado, às 15h e às 18h; e domingo, às 15h.

Ingressos:vendas a partir de 07 de abril (sábado).R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.

Bilheteria: (41) 2118-5111 (De terça a sábado, das 12h às 20h. Domingo, das 14h às 19h.)

Classificação etária:Livre

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Oficina: "O Jogo do Palhaço"

Data:12 e 13 de abril de 2018.

Horário:das 18h às 22h

Inscrições:Pelo e-mail, até o dia 08 de abril. O resultado será divulgado no dia 09 de abril no facebook.com/CaixaCulturalCuritiba.

Vagas:Limitadas (Para atores maiores de 16 anos.)

 

Cultura e gastronomia da Itália, Alemanha e Brasil na última semana da Páscoa Gourmet

A Páscoa Gourmet chega a sua última semana no Shopping Curitiba. Na agenda estão os costumes, as culturas e a gastronomia de Itália, Alemanha e Brasil, acompanhados de saborosas degustações.

Na sexta-feira (23), a partir das 19h, o grupo Giuseppe Garibaldi conduz um bate-papo sobre a Itália. Os participantes também aproveitam a degustaçãoda Colomba Pascal (pão doce com frutas) e da Pastiera Napolitana (torta de Ricota), além da harmonização de cafés comandada por Miguel Izepão e Carlos Eduardo Costa.

No sábado (24) é a vez da Alemanha, com degustação de cordeiro assado e batatas, bate-papo sobre o país com o Grupo Alte Heimat e oficina de decoração de mesa para a ceia de Páscoa com base nas tradições alemãs.

Quem encerra o tour pelas diferentes tradições de Páscoa é o Brasil, no domingo (25).Os participantes vão aprender com a doceira Anne Schuartz a fazer ovos gourmet, conhecer a história do cacau e provar os deliciosos chocolates.

As apresentações do fim de semana têm início às 17h.Para participar, é necessário retirar uma pulseira individual uma hora antes, na Praça de Eventos do Shopping (piso L2). As vagas são limitadas e serão ocupadas de acordo com a ordem de chegada.

Todas as informações estão no link: https://www.facebook.com/events/1634054063345463/

Serviço

Páscoa Gourmet

Datas:23/03, 19h – Degustação de Colomba Pascal (pão doce com frutas) e Pastiera Napolitana (torta de Ricota) com harmonização de cafés comandada por Miguel Izepão e Carlos Eduardo Costa. O bate-papo sobre a Itália será com o grupo Giuseppe Garibaldi.

24/03, 17h – Degustação de cordeiro assado com batatas, bate-papo sobre a Alemanha com o Grupo Alte Heimat e oficina de decoração de mesa para a ceia de Páscoa com base nas tradições alemãs.

25/03, 17h – Brasil com workshop da doceira Anne Schuartz que vai ensinar a fazer ovos gourmet, bate-papo sobre a história do cacau e degustação de brigadeiro.

Quanto:entrada gratuita

Onde:Praça de eventos do Shopping Curitiba (piso L2)

Como participar:é necessário retirar uma pulseira individual uma hora antes, na Praça de Eventos. As vagas são limitadas.

Mais informações no link: https://www.facebook.com/events/1634054063345463/

Shopping Curitiba

Rua Brigadeiro Franco, 2.300.

Curitiba (PR)

(41) 3026-1000 | www.shoppingcuritiba.com.br

@ShoppingCtba | www.facebook.com/ShoppingCuritiba

 

Caixa Cultural traz a Curitiba a peça Na Selva Das Cidades – Em Obras

fotos Renato Mangolin Foto - Renato Mangolin

 A CAIXA Cultural Curitiba apresenta uma versão inusitada da peça Na Selva das Cidades. Escrita em 1927, pelo dramaturgo alemão Bertolt Brecht (1898-1956), a obra ainda desafia o tempo, quase um século depois. De uma atualidade aguda, o texto alinha exclusão social aos podres poderes da vida em sociedade. Esses aspectos são investigados à exaustão para a montagem trazida pelo grupo mundana companhia.

Com direção geral de Cibele Forjaz, a peça tem elenco formado por Aury Porto, Carol Badra, Guilherme Calzavara, João Bresser, Luah Guimarãez, Mariano Mattos Martins, Sylvia Prado, Vinícius Meloni e Washington Luiz Gonzales. A pesquisa resultou em um livro distribuído gratuitamente para escolas de teatro e instituições de todo o país.

Parte do conjunto de principais realizadoras de teatro contemporâneo no Brasil, a mundana companhia fez jus a seu nome durante o desenvolvimento da estrutura da peça: ao longo de dois anos, enveredou por toda São Paulo pesquisando, de corpo presente, sua humanidade. A partir daí, arquitetou um espetáculo que se transforma, literalmente, a cada temporada/ocupação.

foto Renato Mangolin Foto - Renato Mangolin

A partir do glossário urbano adquirido, a montagem conta a mesma história a partir de novos pontos de vista. Ao trabalho da diretora Cibele Forjaz soma-se sempre uma equipe propositiva formada por componentes do grupo que assumem uma espécie de curadoria. Em Curitiba, Aury Porto, Bia Fonseca, Flora Belotti e Rogério Pinto vão liderar a Ocupação #17 PALCO. Eles estudam o espaço e propõem, para toda a equipe, a forma que a peça assumirá durante a temporada/ocupação.

Em Curitiba, Na Selva das Cidades – Em Obras os criadores apresentam o palco à italiana – espaço nada comum na trajetória da mundana companhia. "A imersão por São Paulo, durante a pesquisa de linguagem, nos deu um eixo. Desde o início estabelecemos uma equipe propositiva que aponta rumos. Toda a ficha técnica está o tempo inteiro envolvida, em movimento, sem um pensamento pronto e acabado para a montagem", explica Aury Porto, fundador junto com Luah Guimarãez da mundana companhia. As peculiaridades que envolvem a montagem e o processo de criação da companhia serão apresentados durante um bate papo com o público, que será realizado no dia 4 de março, às 15 horas, com entrada franca.


Bixiga – Perdizes: Potência das experiências

Um dos textos com mais elementos expressionistas de Brecht, Na Selva das Cidades mostra a luta entre dois homens, mas também o embate com a cidade. Em 1969, o Teatro Oficina realizou uma montagem do texto considerada antológica. "Lina Bo Bardi levou, para dentro da Oficina, restos de moradias do Bixiga que estavam sendo demolidas para a construção do Minhocão, que liga Bixiga a Perdizes", conta Aury Porto. Esse processo orientou a pesquisa de campo da mundana companhia. O impacto da imersão dos artistas com o intercâmbio junto aos moradores de SP foi vertiginoso. "Não podíamos criar uma montagem, digamos, formal. A cidade nos deu um estímulo que, na sala de ensaio, se esvaía. Decidimos abrir a possibilidade de mudar tudo a cada nova agenda de apresentações. Já fizemos sem palavra alguma; outra vez fizemos em uma hora, depois em três", contextualiza Aury.

Dessa maneira, a companhia assumiu o risco de investir no inusitado. "Os conceitos acabados e as formas fixas não cabiam mais nesse trabalho. O próprio texto de Brecht é cheio de lacunas. Percebemos que era a partir destas lacunas que o trabalho se abriria para o nosso tempo e suas questões, para uma comunicação mais livre entre a nossa equipe de criação e o público, entre o teatro e a cidade, entre a ficção e a realidade. Resolvemos, então, abrir radicalmente o espetáculo para a potência das experiências vividas, em grupo, com a cidade. A partir desse novo paradigma, tudo passou a ser móvel e inacabado. A cada nova ocupação, tudo se transforma na relação com o espaço ocupado. Desta forma, o cenário propõe sempre uma nova intervenção no espaço. Da mesma forma, a luz, o vídeo, os figurinos e os objetos de cena só existem a partir da relação com esse novo espaço e seus conceitos. O trabalho dos atores não tem marcas fixas, mas regras de jogo que determinam a movimentação e o desenho da cena. Cada Ocupação é singular, cada sessão é uma estreia. Lutando diariamente contra a nossa tendência às relações hierárquicas e às formas prontas, estamos no risco, prontos para o inesperado", conclui Cibele Forjaz.


Sobre a mundana companhia

Desde o ano 2000, inspirados pela militância política dos artistas de teatro da cidade de São Paulo junto ao movimento "Arte contra a Barbárie", Aury Porto e Luah Guimarãez desejavam criar um núcleo artístico formado essencialmente por atores-produtores. A partir daí, um diretor – com afinidades afetivas e estéticas com os membros da companhia – seria convidado a participar. O mesmo ocorreria com os profissionais das outras áreas, como cenografia, figurino, música, luz, e até mesmo outros atores. A cada projeto a companhia teria um novo corpo que daria vazão às ideias de continuidade e transitoriedade. Esse é o pensamento que caracteriza a mundana companhia.

Essa companhia, de encontros conscientemente transitórios, recebe o adjetivo antes do substantivo e tem seu nome integralmente grafado com letras minúsculas. Esboça-se, assim, um projeto em constante construção por diversas mentes e mãos, num processo que pode ser chamado de "frátria", em dissonância com a supremacia do ideário de pátria – tão caro à maioria das sociedades modernas. Essas especificidades nas relações internas se refletem nas relações com os espectadores e, obviamente, nos temas a serem investigados a cada novo projeto. Apesar de elaborado desde a virada do século, o primeiro trabalho deste núcleo artístico só foi realizado muitos anos depois.

O repertório da mundana companhia é formado pelas montagens: A Queda (2007), adaptação do romance de Albert Camus; Das Cinzas (2009), com texto de Samuel Beckett; O Idiota – uma novela teatral (2010), realizado a partir da obra homônima de Fiódor Dostoiévski; Tchekhov 4 - Uma Experiência Cênica (2010), primeiro trabalho do diretor russo Adolf Shapiro com atores brasileiros – montado por ocasião do centenário de Anton Tchekhov; Pais e Filhos (2012), com encenação adaptada do romance homônimo de Ivan Turguêniev, mais uma vez dirigida por Adolf Shapiro; O Duelo (2013), criado a partir da novela de Tchekhov, que foi a temporada anterior da mundana companhia na cidade de Curitiba em 2014. Atualmente, está apresentando a peça Dostoiévski Trip, de Vladímir Sorókin,com direção de Cibele Forjaz, numa coprodução com a Cia Livre.


Serviço

Teatro: Na Selva das Cidades – Em Obras

Local: CAIXA Cultural Curitiba. Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR).

Data: 02 a 04 de março de 2018 (sexta a domingo)

Horário: sexta às 20h; sábado às 17h e às 20h; e domingo às 18h.

Ingressos: Vendas a partir de 24 de fevereiro (sábado). R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.

Bilheteria: (41) 2118-5111 (De terça a sábado, das 12h às 20h. Domingo, das 16h às 19h.)

Classificação etária: 14 anos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Debate com os criadores: 04 de março, às 15h, com entrada franca.

Última atualização em Seg, 19 de Fevereiro de 2018 11:22
 

Sorteio Paulinho Mixaria no Acontece Curitiba

Gente olha que bacana..o Acontece Curitiba em parceria com a Pires Produções faz mais uma parceria sorteando ingressos para voces.

Quer participar?

Curta nossa fanpage @claudiacozzella e compartilhe publicamente nossa promoção e deixe o comentário EU CURTI

 

Sucesso de público, o divertido Paulinho Mixaria, que vive no palco o personagem do típico gaúcho do interior, com histórias de causos cotidianos, envolvendo situações engraçadas, vem a Curitiba com a Temporada 2017,  "Sempre Um Show Diferente". Em única apresentação, no dia 16 de dezembro, sábado, às 21 horas, no grande auditório do Teatro Positivo, o público pode esperar um grande espetáculo de humor, que promete arrancar muitos risos. Com realização da Pires Produções, os ingressos estão à venda pelo Disk Ingressos.

Com grande reduto de fãs na capital paranaense e região Metropolitana, Paulinho Mixaria costuma atrair para os seus shows pessoas de várias idades, de crianças a vovós divertindo a todos com seu humor sadio.

 

Com 24 anos de carreira, Paulinho Mixaria chega na fase mais madura da carreira com seu show de Humor  aliado as produções de cinema lotando teatros e resgatando o tempo em que as famílias saiam com todos os integrantes juntos para se divertirem, sem restrição de idade.

 

A carreira 

Paulo Roberto Alves da Silva, conhecido como Paulinho Mixaria, nasceu na cidade de Taquari/RS, no dia 05 de outubro de 1969. Ao longo de sua carreira lançou 4 livros, 7 CDs, 2 DVDs e 1 Filme de Longa Metragem. Todos de produção independente. Sendo que no filme, a exemplo de seus ídolos Mazaroppi, Charlie Chaplin e Jerry Lewis, ele foi roteirista, diretor, ator e produtor. Desde criança manteve o sonho e a vocação para ser humorista. Começou a compor poesias e músicas aos 11 anos de idade, tendo suas canções gravadas por inúmeros artistas, entre eles Gaúcho da Fronteira. É um humorista e ator comediante autodidata sem formação acadêmica.

  

DATA: 16/12/2017 - SÁBADO

HORÁRIO: Início: 21h.

LOCAL: Teatro Positivo - Grande Auditório

 

PROMOÇÃO: Pires Produções

DURAÇÃO: Aproximadamente 2 horas

INGRESSO:
2° lote – Plateia Superior - Meia-entrada (R$ 50,00) e  Inteira (R$ 90,00).
2° lote – Plateia Inferior - Meia-entrada (R$ 55,00) e Inteira (R$ 100,00).
No valor está inclusa a taxa administrativa do Disk Ingressos de R$ 10,00.


*** A meia-entrada é válida para estudantes, professores, pessoas acima de 60 anos, doadores de sangue, PNE e portadores de câncer. Desconto de 50% para assinantes da Gazeta do Povo. 20% de desconto para o Clube Disk Ingressos e para o Programa de Benefícios do Teatro Positivo. Os descontos não são cumulativos e válidos somente para ingresso inteira.

 

PONTOS DE VENDA: Disk Ingressos (Loja no shopping Palladium, quiosques nos shoppings Mueller, call-center Disk Ingressos (41) 3315-0808, pelo portal www.diskingressos.com.br , e na bilheteria do teatro 

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: Livre

INFORMAÇÕES: (41) 3315-0808 ou http://www.diskingressos.com.br/evento/6486

 

 

 

 

Do sul da Espanha ao sul do Brasil - música e dança flamenca com sabor curitibano

O grupo "Perla Flamenca Arte em Movimento" apresenta no dia 12 de novembro, às 20hs, no Teatro Regina Vogue, o espetáculo: "De Sur a Sur - Inspirados en la raiz, bailamos nuestro sentir". O show que estreou em 2016 e vem sendo construído e renovado a cada dia e a cada novo aprendizado, é uma afirmação do flamenco local, valorizando as raízes desta arte. Do sul da Espanha para o sul do Brasil, o flamenco é uma ponte que há cerca de duzentos anos vem unindo povos por meio da arte e da cultura.

A maturidade técnica e artística do grupo é celebrada nesta produção, pois "sem esquecer todo o conhecimento e arte que recebemos dos flamencos espanhóis de hoje e de ontem, temos consciência de que os frutos aqui produzidos possuem cheiro e sabor da terra local", destaca Miri Galeano, diretora e bailarina do grupo. "Queremos valorizar e dar importância ao flamenco que fazemos aqui em Curitiba e no Brasil", completa Jony Gonçalves Guitarrista e diretor do Grupo.

O evento contará com a presença dos cantaores Francisco Delgado (Chile) e Fernando de Marília (Brasil), das bailaoras Miri Galeano "Perlita" e Maria Tereza Prado, do percussionista gaúcho Gustavo Rosa, do guitarrista flamenco Jony Gonçalves, da violinista Carla Zago e dos alunos do grupo. Os ingressos estão à venda no Espaço Up Live (Rua Claudio Manoel da Costa, 623, Bom Retiro), no Teatro Regina Vogue e no Disk Ingresso.  

SERVIÇO

"DE SUR A SUR"

Quando:12/11, às 20hs

Onde: Teatro Regina Vogue - Av. Sete de Setembro, 2775

Ingressos: Espaço Up Live (cel. 99571-7379), Teatro Regina Vogue (tel. 2101-8292 e 2101-8293), Disk Ingresso (tel. 3315-0808)

Custo: R$80,00 (inteira) | R$40,00 (meia)

Sobre o Flamenco

O Flamenco nasce na Andaluzia, Espanha, e de lá se espalha pelo mundo, levando consigo a soma de diferentes culturas que o fizeram emergir, tais como árabe, cigana, judia, espanhola, negra. Ao falar das emoções humana mais primitivas, como raiva, dor, medo, alegria, paixão, amor, sensibiliza e conecta-se com os mais diversos públicos, talvez por isso tenha ultrapassado suas fronteiras e se firmado como um gênero artístico, muito além de algo folclórico e de identidade local. Um show tradicional de flamenco sempre reúne seus três elementos: Baile (dança), toque (guitara espanhola/violão) e Cante (voz). No flamenco, o bailarino/bailarina é chamado bailaor/bailaora, o cantor/cantora de cantaor/cantaora e o/a violinista de guitarrista.

Sobre o Grupo Perla Flamenca:

Após 13 anos de muita dedicação ao Flamenco no Brasil e no exterior e com o objetivo de sempre difundir esta arte, Miri Galeano  "La Perlita" e Jony Gonçalves criaram o grupo "Perla Flamenca Arte em Movimento". O objetivo do grupo é compartilhar e transmitir a arte a pessoas de qualquer idade, gênero e nacionalidade. Utilizando a linguagem universal da música, o grupo desenvolve diversas atividades, tais como aulas de dança, aulas de violão flamenco, encontros sobre teoria e história do Flamenco, bem como apresentações e workshops com artistas nacionais e estrangeiros. Diretores do Grupo:Miri Galeano "Perlita" Coreógrafa e Bailaora;Jony Gonçalves Músico - Guitarrista.

Fanpage do grupo: https://www.facebook.com/perlaflamencaarteemmovimento/

 


Página 1 de 22
Copyright © 2011 Acontece Curitiba. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por LinkWell.