Erastinho recebe doação dos looks desfilados no Curitiba Flower Power

O Hospital Oncopediátrico Erastinho recebeu a doação dos looks desfilados no Curitiba Flower Power. O produtor do evento, Victor Sálvaro, entregou as peças para Daniele Farias, administradora do escritório do hospital. Ao todo, foram 32 looks feitos por estilistas curitibanos, com tecidos de estampas florais cedidos por uma tradicional loja de tecidos da cidade. Alguns modelos já foram vendidos, mas os interessados em ajudar o hospital podem comprar as peças por meio da página https://www.facebook.com/cwbflowerpower/. Toda a renda obtida com a venda dos looks será revertida para o hospital.

O Curitiba Flower Power foi um fashionshow que celebrou a chegada da primavera em Curitiba, reunindo moda, natureza, música e arte no calçadão da rua XV de Novembro, reacendendo tradições curitibanas há muito esquecidas.

 

Expedição Suinocultura promove evento gastronômico no Mercado Municipal de Curitiba

Para desmistificar o consumo da carne suína, a equipe da Expedição Suinocultura volta ao Mercado Municipal de Curitiba, neste sábado (21), a partir das 11h. Em um ambiente tradicional da feira, da gastronomia e do turismo paranaense, o projeto técnico-jornalístico promove evento de degustação de cortes suínos harmonizados com cervejas artesanais. O encontro marca o encerramento da 2ª edição do projeto, que percorreu mais de 16 mil quilômetros e seis estados para construir um novo diagnóstico da cadeia produtiva no país.

Atualmente, o brasileiro consome em média 15 quilos/per capita por ano de carne suína. Segundo dados da Expedição Suinocultura, a demanda interna deve aumentar 15% até 2020, chegando a 17 quilos por pessoa. "O crescimento do consumo e a gourmetização fazem parte de um momento fantástico. O aumento da concorrência traz mais opções e melhores preços. Mas, na verdade, é uma política em que todo mundo ganha, a indústria, o consumidor e o produtor", declara o gerente do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo e coordenador do projeto, Giovani Ferreira.

Na opinião do chef Ricardo Filizola, que vai comandar a cozinha do evento, a recente criação de linhas com cortes mais nobres tem contribuído para desmistificar alguns conceitos sobre a proteína. "Estamos acostumados a comer o lombo, o pernil e a costeleta, mas hoje existem várias opções diferentes, como a picanha, o filé mignon e o coxão mole", destaca. "Além disso, é menos gordurosa que outras proteínas, versátil, saborosa e saudável", completa o chef.

Roteiro

Entre setembro e outubro deste ano, a Expedição Suinocultura visitou aviários, indústrias, cooperativas e entidades representativas do setor no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso para traçar um diagnóstico da atividade no país. Os seis estados são responsáveis por 90% da produção de carne suína, o que equivale a mais de 2,5 milhões de toneladas da proteína por ano, e 97% das exportações brasileiras, para mais de 70 países. Ao longo de mais de 16 mil quilômetros, a equipe pode acompanhar a caminhada para o crescimento do setor, após um período de crise no ano passado – causado pela escassez do principal insumo da produção, o milho.

Serviço

ENCERRAMENTO DA EXPEDIÇÃO SUINOCULTURA 2017

DATA: Sábado, 21 de outubro de 2017

HORÁRIO: 11h

LOCAL: Espaço Arena do Mercado Municipal de Curitiba

ENDEREÇO: Avenida Sete de Setembro, 1865 – Curitiba (PR)

---------------------------------------------------

Sobre a Expedição Suinocultura 2017

A Expedição Suinocultura é uma iniciativa do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo, que detém o know-how e a capilaridade da Expedição Safra, realizada há dez temporadas. O projeto consiste em um diagnóstico técnico-jornalístico da cadeia da carne suína no Brasil com roteiros pelos seis principais estados produtores: Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. Em sua segunda edição, a Expedição Suinocultura conta com o apoio técnico, financeiro e logístico da MSD Saúde Animal, da Boehringer Ingelheim, da Frimesa, do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e do Grupo Renault.

Saiba mais: www.expedicaosuinocultura.com.br

 

“Te empresto meus olhos”

Exposição inaugura neste sábado como parte do Circuito Integrado da Bienal de Curitiba

IMG 1a Adriana BarbosaFoto: Adriana Barbosa

Numa experiência única, a mostra dos alunos da Oficina de Fotografia para Pessoas com Deficiência Visual da Biblioteca Pública do Paraná será aberta neste sábado (dia 21/10) como parte do Circuito Integrado da Bienal de Curitiba’17. A exposição “Te empresto meus olhos” é o resultado da produção da oficina organizada desde 2015 pela fotógrafa Juliana Stein, que já apresentou trabalhos em mais de 10 países e foi a representante brasileira no Pavilhão da América Latina da Bienal de Arte de Veneza em 2013.

Para fotografar, “algumas pessoas utilizam os sentidos; outras, a ausência destes”, diz uma das alunas e a expositoras, Adriana Ceccatto Barbosa. “Defino a fotografia como a arte de imprimir uma ou várias escritas de vida a uma imagem, visto que cada um tem a sua forma de enxergar o mundo e vivenciar as experiências do cotidiano”, conta, para explicar que, para enxergar, é possível ir muito além da visão biológica.

Fazem parte da exposição fragmentos dos processos de produção, conta Juliana Stein. “A exposição tem o objetivo de refletir sobre temas centrais na fotografia contemporânea e envolve, sobretudo, a experiência da imagem — seus modos de aparição e produção. Partimos do desafio concreto de abordar a questão pela especifidade de sua produção — pessoas que não utilizam a retina e sim o corpo como câmera escura”, diz a fotógrafa e curadora da mostra.

 

IMG 2a Wagner Bitencourt 6Foto: Wagner Bitencourt

 

Segundo ela, esta é uma exposição que resulta das formas de experimentação nos campos da fotografia e percepção de mundo. O nome – Te empresto meus olhos – vem do interesse em observar certas práticas e usos dos processos de ver. “A pessoa com deficiência visual não vê como eu vejo, mas eu também não vejo como ela vê”, analisa Juliana Stein.

A produção desta exposição não é uma forma conclusiva, mas se coloca como uma proposição e abertura para novos diálogos e manifestações neste sentido. Os artistas Adriana Barbosa, Isabel Bruck, Wagner Bittencourt, Antônio Nunes e Anastácio Braga, que acompanham a oficina desde seu início, assinam e estão retratados nas fotografias da mostra.

“Cada um vem descobrindo e aprimorando formas de experienciar a fotografia. Por exemplo, o toque do que está sendo fotografado, a noção espacial, a presença e ausência de luz”, comenta Adriana Barbosa.

A exposição “Te empresto meus olhos” será aberta às 11 horas de sábado no hall térreo da Biblioteca (Rua Cândido Lopes, 133, Centro). E permanece aberta à visitação até 30 de dezembro, com entrada franca.

“Te empresto meus olhos”

Última atualização em Qui, 19 de Outubro de 2017 15:26
 

Seminário de Krav Maga vai demonstrar as técnicas de defesa pessoal no transporte público

Com o aumento da violência urbana, os assaltos e assédios em ônibus e trens são cada dia mais constantes e a Federação Sul Americana de Krav Maga vai mostrar como é possível defender-se desse tipo de ação.

 

krav1Crédito: Divulgação

A violência urbana é crescente em todo o Brasil e o assédio e agressões em ônibus, trens e metrôs são constantes. Pensando nisso, a Federação Sul Americana de Krav Maga, a única representante oficial da modalidade no Brasil, México e Argentina e detentora da marca Krav Maga no Brasil, vai realizar, no dia 22 de outubro, em Curitiba, um seminário específico da defesa pessoal israelense em transporte público.

Os alunos praticarão em um ônibus real, para simularem situações de assédio, agressão e as técnicas de defesa. O objetivo é mostrar que o cidadão pode conter a violência e garantir a sua volta para casa em segurança, a partir de um treinamento correto e bem executado das técnicas do Krav Maga.

O Krav Maga foi desenvolvido na década de 40, por Imi Lichtenfeld, em Israel, para permitir a qualquer pessoa exercer o direito à vida. Dessa forma, não se trata de uma arte marcial e sim da única Arte reconhecida mundialmente como arte de defesa pessoal. No Krav Maga não há competições, campeonatos ou medalhas. 

krav2Crédito: Divulgação

Com treinamento bem executado e com profissionais habilitados nas técnicas do Krav Maga, o aluno aprende a evitar o assédio, se proteger de furtos e roubos e, em casos de treinamento mais avançado, a desarmar e defender-se de assaltantes. “A Federação Sul Americana de Krav Maga prima pela segurança de seus alunos e atua com grande responsabilidade na formação de seus instrutores e na difusão de suas técnicas. Dessa forma, os alunos aprendem exatamente a se preparar e defender-se de qualquer tipo de agressão”, explica o Professor Gerson Madlener, responsável pela difusão do Krav Maga no estado do Paraná.

Com respostas simples, rápidas e objetivas para situações de violência do dia a dia, o Krav Maga possibilita que qualquer cidadão, independentemente de força física, idade ou sexo, possa se defender de um agressor ou agressores maiores ou mais fortes, armados ou não. Hoje, civis e militares adotam a modalidade no mundo inteiro por sua eficiência em combate.

Para realizar este treinamento, estará presente em Curitiba um dos três únicos Mestres brasileiros em Krav Maga, Jacques Danon, graduado com mais de 20 anos de treinamento pela Federação Sul Americana de Krav Maga.

O Krav Maga no Brasil - Em janeiro de 1990, o israelense Grão Mestre Kobi Lichtenstein (faixa-preta, 8º Dan), chegava ao Brasil para implementar a técnica, que hoje já é praticada por civis e militares em todo o país. Grão Mestre Kobi começou a praticar o Krav Maga aos 3 anos de idade, com o criador desta modalidade, Imi Lichtenfeld, em Israel e foi o primeiro faixa-preta de Imi a sair de Israel para difundir o Krav Maga pelo mundo.

Grão Mestre Kobi se estabeleceu no Rio de Janeiro, onde fundou e hoje dirige a Federação Sul Americana de Krav Maga e, ao longo destes anos, vem realizando um trabalho extremamente sério e responsável, no intuito de manter o Krav Maga fiel à sua criação.

Ainda hoje, o método de prática e de ensino da FSAKM é o mesmo criado por Imi Lichtenfeld e utilizado em Israel. Grão Mestre Kobi supervisiona pessoalmente a prática e a divulgação do Krav Maga, mantendo o alto nível ético e técnico dos instrutores e alunos, seguindo os passos ditados por Imi.

O seminário "DEFESA EM TRANSPORTE PÚBLICO" será realizado no Centro de Krav Maga do Paraná (Rua Barão do Rio Branco, 574 – Centro).

As vagas são limitadas e é necessária a inscrição prévia para a participação, pelo  Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Para saber mais sobre o Krav Maga acesse: www.kravmaga.com.br

Siga-nos nas redes sociais: www.facebook.com/mestrekobikravmaga

Última atualização em Ter, 17 de Outubro de 2017 15:05
 

Mayim Bialik | Girling Up

Atriz norte-americana Mayim Bialik dá ensinamentos valiosos em Girling Up

may1Crédito:James Banasiak

Oxigênio. Carbono. Hidrogênio. Nitrogênio. Cálcio. Fósforo. Não, não é uma aula de química. Esses são os elementos que constituem todo o organismo do ser humano! E mesmo que o corpo seja feito de seis coisas apenas, há tantas mudanças físicas, cerebrais, emocionais que nem parece que essa “massa” corpórea seja tão simples. No caso das meninas, o peso para certas coisas é ainda maior! No livro Girling Up – Como se Tornar Uma Mulher Saudável, Esperta e Espetacular, Mayim Bialik, a Amy da série The Big Bang Theory, ensina, de maneira divertida e estimulante, vários conceitos importantes do ponto de vista biológico que afetam a vida das garotas por inteiro.

Além de suas famosas atuações como Blossom (uma adolescente inteligente e sarcástica, cujo nome também é a denominação da série dos anos 90) e Amy Farrah Fowler (ainda atuante), Mayim é PhD em Neurociência pela Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA). É com esta formação que ela traz ensinamentos sobre a puberdade de maneira bem simples de forma que as garotas não precisam ser especialistas para entenderem. Mayim aborda assuntos como as mudanças no corpo e as diferenças entre meninas e meninos, mas de forma que a leitora vá além dos estereótipos sociais, aprenda a se conhecer de fato e preserve sua saúde física e mental, livrando-se das cobranças desnecessárias.

Quando vejo TV, vou ao cinema ou dou uma olhada nas redes sociais, vejo um monte de coisas espetaculares e gente super feliz. Vejo pessoas com famílias sorridentes, animais de estimação adoráveis, casas bonitas, amigos presentes, relacionamentos amorosos e o que frequentemente parecem vidas perfeitas. As coisas que as pessoas postam mostram um mundo de alegria e sucesso, mas nem sempre a vida é assim. Coisas ruins acontecem. Nós ficamos tristes. Surgem situações com as quais nós nem sempre sabemos como lidar. E às vezes pode parecer que, se a nossa vida não é como a vida dos outros, há algo de errado com a gente.

Sempre em tom didático, a autora conscientiza as meninas sobre como é essencial ter uma alimentação saudável, levando em consideração a importância do momento das refeições, a questão do consumo de água, a necessidade da prática de exercícios físicos e outros hábitos saudáveis, sob um viés natural, de forma a romper os padrões que a sociedade impõe para o corpo “perfeito”.

may

Mayim explica ainda todos os dilemas da puberdade do ponto de vista da neurociência, o que facilita a compreensão e identificação. A autora fala até mesmo dos sintomas físicos da paixão, o que muda no comportamento, os hormônios e os métodos contraceptivos para evitar gravidez precoce e doenças.

A neurocientista aborda também os aspectos pessoais que podem ajudar as meninas a serem fortes para enfrentar as dificuldades da vida. Através de exemplos de pessoas reais que contribuem para a construção de um mundo melhor, Mayim estimula as leitoras a fazerem a diferença.

Girling Up, que é lançamento da Primavera Editorial, chega às livrarias no mês de outubro.

Última atualização em Ter, 17 de Outubro de 2017 14:00
 

Comunicado - Banda X

A assessoria de Ximbinha diz que o guitarrista foi surpreendido hoje pela publicação das cantora Michele Andrade em seu perfil pessoal nas redes sociais, que informa sua saída da Banda X.

Informa ainda, que em nenhum momento a cantora pernambucana avisou previamente que pretendia sair da banda e que a decisão foi unilateral e pessoal de Michele.

Ximbinha também ressalta que a saída de Michele Andrade compromete shows já agendados da Banda X e também participação em programas de TV e rádio que faziam parte do trabalho de divulgação da banda.

A assessoria também informou que Ximbinha e sua produção tomarão as medidas cabíveis para contornar a situação causada pela saída inesperada de Michele Andrade da Banda X.

 


Página 1 de 230
Copyright © 2011 Acontece Curitiba. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por LinkWell.