Em cartaz : Planeta dos Macacos: A Guerra

Os inúmeros fãs da série Planeta dos Macacos, que aguardam ansiosamente o desfecho dessa trilogia que finalmente esclarece todos os pontos de como tudo começou, podem ficar tranquilos, o diretor Matt Reeves fecha a série com chave de ouro.

Em 1968 foi lançado o filme “Planeta dos Macacos” com o ator Charlton Heston no papel de um astronauta que depois de passar alguns anos em estado de hibernação em uma espaçonave acorda em um planeta dominado pelos macacos, onde os humanos são tratados como escravos e nem mesmo tem o dom da fala.

Ele acredita que está em um planeta desconhecido até que em meio a uma fuga, se depara com a cabeça da estátua da liberdade em uma praia.

Um dos melhores plot twists do cinema.

Nesse novo filme, seguindo os acontecimentos de "Planeta dos Macacos: A Origem" (2011) e "Planeta dos Macacos: O Confronto" (2014), eis que a batalha final está anunciada.

Mas, em “A Guerra” temos uma história que marca mais pelo drama do que pelo confronto em si. A grande guerra acontece dentro do próprio sujeito com seus conflitos pessoais e dentro dos grupos com seus conflitos de filosofias.

Cesar e seu grupo estão escondidos na floresta, eles não querem contato com os humanos, mas o exército está à caça deles e os encontram.

Depois de um confronto, Cesar envia um recado para o comandante do exército, através de quatro soldados que permaneceram vivos.

Ele manda dizer que não quer mais guerras, não quer mais mortes, pois o macaco que havia começado aquilo, ele mesmo tinha matado. Portanto, que cada um viva sua vida em paz.

Mas, o líder humano não ouve o recado e ataque o acampamento dos macacos.

Depois de muitas mortes, Cesar vai lutar contra seus próprios instintos, pois deseja muito a vingança, mas está extremamente humanizado.

O filme fecha a trilogia de um modo excelente, ele conduz o drama para o fechamento da história de Cesar que lá no filme de 1968, era uma figura praticamente religiosa para os macacos.

Para os fãs da série, um final emocionante.

Título Original: War For The Planet Of The Apes
Gênero: Ficção Científica/Ação/Aventura
Tempo de Duração: 2 horas e 20 minutos
Ano de Lançamento: 2017

Direção: Matt Reeves

Elenco: Andy Serkis, Woody Harrelson, Steve Zahn, Karin Konoval, Terry Notary, Amiah Miller, Judy Greer, Michael Adamthwaite.

RITA VAZ

TUDO SOBRE FILMESwww.ritavazm.blogspot.com.br

 

Filme Star Trek: Sem Fronteiras

A série Star Trek, tem uma legião de fãs enorme, faço parte dela e estava bastante ansiosa para assistir ao novo episódio.

E eis que fui surpreendida com um filme digno, que homenageia, como nunca, esse mundo de ficção científica que agrega cada vez mais fãs.

Criada em 1966 a franquia que causa até hoje, um grande impacto cultural na sociedade, está completando cinquenta anos e nada mais justo que um filme que nos remeta aos moldes mais tradicionais da série e a homenagens mais do que merecidas.

Desta vez, Kirk, Spock e a tripulação da Enterprise encontram-se no terceiro ano da missão de exploração do espaço prevista para durar cinco anos.

A distância e o espaço infinito acabam provocando reações diferentes em cada tripulante.

Kirk sofre com a rotina, Spock tem problemas de relacionamento com Uhura, e outros integrantes da Enterprise também estão com problemas, mas cada um deles administra de um jeito o seu sofrimento.

Eles recebem um pedido de socorro que os leva diretamente ao vilão Krall, um ser que tem grande interesse em um objeto de posse do líder da Enterprise.

A nave é atacada, (e vamos abrir uns parênteses aqui para a incrível cena de ação, que é muito bem-feita nos seus mínimos detalhes), e eles acabam caindo em um planeta desconhecido, onde o grupo acaba sendo dividido em duplas.

Eles precisarão se encontrar e se unir para conseguir enfrentar mais esse vilão.

As atuações estão incríveis e mais personagens ganham destaque nesse episódio, além de manterem o ótimo tom de luta pela diversidade.

O destaque maior vai para os efeitos especiais que estão cada vez melhores e chamo atenção para a complexidade e realidade de um planeta artificial onde a Enterprise para, é demais!!!

Uma excelente trama, com muitas intervenções divertidas, muita ação e muito respeito aos cinquenta anos que já se vão.

Que venham mais cinquenta. Super recomendo!

Título Original: Star Trek Beyond
Gênero: Ficção Científica/Ação/Aventura
Tempo de Duração: 2 horas e 03 minutos
Ano de Lançamento: 2016

Direção: Justin Li

Elenco: Chris Pine, Zachary Quinto, Simon Pegg, Sofia Boutella, Idris Elba, Anton Yelchin, Zoe Saldana, Karl Urban, Lydia Wilson, John Cho, Joe Taslim.

RITA VAZ

TUDO SOBRE FILMESwww.ritavazm.blogspot.com.br

 

Filme :Minha Mãe é Uma Peça 2

 

O ator Paulo Gustavo acertou mais uma vez a mão, nessa comédia muito engraçada. Que na minha opinião, é melhor que a primeira.

Nessa nova história a gente vai encontrar a dona Hermínia, em uma posição diferente. Agora ela está famosa, tem um programa na televisão que fala exatamente do que ela mais gosta, das agruras de ser mãe. E ela também tem uma boa posição financeira.

Mas continua com o problema com os filhos, ela não sabe deixar que eles cuidem se suas próprias vidas, mas eles estão adultos e querem seguir seus rumos, suas carreiras, que por acaso, não estão decolando na mesma cidade onde eles moram.

Além disso, a irmã dela vai vir de Nova York passar um tempo na casa dela, e o filho mais velho aparece com o neto para ficar um tempo com ela também.

Nesse novo filme dona Hermínia se manteve presa nas confusões e aceitações de algumas mães, mas de um modo diferente e muito engraçado.

Cada piada que ela faz, tem um fundo de verdade incrível, e as pessoas vão adorar.

O filme anterior fez muito sucesso nos cinemas. Ele levou mais de quatro milhões de pessoas às salas de todo o Brasil.

Esse sucesso foi devido à grande audiência do programa do Paulo Gustavo na tv por assinatura e pela peça de teatro de mesmo nome.

Ele acabou se especializando na mãe dele né e continua assim.

O primeiro filme acaba com uma lição de valores familiares, e neste como ela sofre com a síndrome do ninho vazio, ela acaba entendendo que os filhos, as pessoas, precisam andar com suas próprias pernas, que as pessoas precisam deixar que as outras “vão”, e fala disso na história.

E fala também que a gente precisa pensar em si mesmo, no que faz a gente feliz.

Muitas risadas e muita diversão é o que você vai encontrar nessa ótima comédia.

Título Original: Minha Mãe é Uma Peça 2
Gênero: Comédia
Tempo de Duração: 1 hora e 36 minutos
Ano de Lançamento: 2016

Direção: César Rodrigues

Elenco: Paulo Gustavo, Rodrigo Pandolfo, Mariana Xavier, Patricya Travassos, Alexandra Richter, Herson Capri, Samantha Schmutz, Suely Franco.

RITA VAZ

TUDO SOBRE FILMES – www.ritavazm.blogspot.com.br

 

Filme Uma Família de Dois

Em “Uma Família de Dois” nós vamos conhecer o Samuel, um homem que tem uma vida livre e divertida, sem muitas responsabilidades, até que um dia, uma bebê é deixada em seus braços com o título de sua filha.

Vendo (literalmente) a mulher com quem ele ficou há um ano, ir embora, ele decide ir atrás dela, com a bebê no colo. Vai até o aeroporto e a segue até Londres. Não a encontrando mais, decide criar a filha sozinho.

Por obra do destino, ele se torna um dublê, trabalhando em muitos filmes.

Oito anos se passam e Samuel e Gloria (a filha) formam uma família que se ama. Eles sempre estão juntos, se divertem muito e levam uma vida feliz.

Mas, de repente a mãe reaparece e quer recuperar a filha. A partir daí um drama intenso se instala na família e mais histórias lindas acontecem.

O filme surpreende e muito, porque além do longa ser ótimo, esse mesmo filme foi feito em 2014, com uma produção mexicana, com o ator Eugenio Derbez, que é um ícone do cinema de lá.

E assistindo a mesma história pela segunda vez, mas com uma produção francesa, eu fiquei novamente surpresa, pois apesar de ser uma refilmagem, ele ficou tão bom quanto o primeiro.

Eu dou esse crédito todo, à produção francesa e ao excelente trabalho do ator Omar Sy.

O trabalho dele no filme é impressionante, eu o considero um dos melhores atores da Europa no momento. E acho também que ele percorre do drama para o humor com uma facilidade incrível.

O filme é lindo, emocionante e é dirigido para toda a família, mas principalmente para quem gosta de histórias emocionantes e surpreendentes. Recomendo.

Título Original: Demain Tout Commence
Gênero: Comédia/Drama
Tempo de Duração: 1 hora e 58 minutos
Ano de Lançamento: 2017

Direção: Hugo Gélin

Elenco: Omar Sy, Gloria Colston, Clémence Poésy, Antoine Bertrand, Ashley Walters, Ruben Alves, Alice David, Cécile Cassel.

RITA VAZ

TUDO SOBRE FILMES – www.ritavazm.blogspot.com.br

 

Dica de filme : Baywatch

“Baywatch” é uma série de TV que passou no final dos anos oitenta e foi até o início do ano 2001.

Foi uma série de muito sucesso, onde uma equipe de salva-vidas que trabalhava na praia de Malibu, Estados Unidos, vivia seu dia a dia de tramas cheias de aventuras, de salvar vidas, e de belos personagens.

Uma marca registrada da série eram salva vidas, homens e mulheres, muito bonitos e sensuais, com seus trajes vermelhos e pequenos demais para a função.

Mas, além dessa característica, o que virou uma marca registrada da série, foram as cenas gravadas em câmera lenta, que também são retratadas no novo filme e até comentadas.

E em uma homenagem à própria série e a ícones como Pamela Anderson e David Hasselhoff, o filme conta com exatamente esse mote para a história, que fala de uma possível gangue criminosa que está tentando se instalar na região da praia e eles vão fazer de tudo para impedir isso, além de um concurso para recrutar novos integrantes para a equipe de salva vidas.

No filme a gente vai ver Dwayne Johnson, como um líder honesto, justo e devoto da equipe que vai precisar lidar com possíveis integrantes que parecem deixar algo a desejar, como por exemplo, o personagem do Zac Efron (que entrega um ótimo trabalho) e ainda tem uma história interessante.

O elenco estaria todo bem se não fosse o personagem da atriz Priyanka Chopra que faz a vilã da história. Acontece que essa vilã é tão clichê e batida que acaba não convencendo em momento algum. Uma pena.

É importante saber que o longa é direcionado ao público adulto por contar com muitas piadas com referências sexuais.

E lembrando que em se tratando de uma homenagem, não poderiam faltar os dois astros principais da série original que aparecem rapidamente, mas aparecem na tela, fiquem atentos.

O filme é muito divertido e os atores têm uma ótima química, enfim, entretenimento na certa.

Título Original: Baywatch
Gênero: Ação/Aventura/Comédia
Tempo de Duração: 1 hora e 57 minutos
Ano de Lançamento: 2017

Direção: Seth Gordon

Elenco: Dwayne Johnson, Zac Efron, Alexandra Daddario, Priyanka Chopra, Kelly Rohrbach, Ilfenesh Hadera, Joh Bass, Yahya Abdul-Mateen II.

RITA VAZ

TUDO SOBRE FILMESwww.ritavazm.blogspot.com.br

 

 

Dica de filme : A Múmia

A Universal Pictures está construindo seu próprio universo cinematográfico.

Tal qual a Marvel construiu “Os Vingadores” e a Warner junto com a DC está construindo a Liga da Justiça, a Universal está construindo o Dark Universe ou Universo Sombrio.

Esse é só um primeiro filme para dar o ponta pé inicial a esse universo que tem a organização Prodigium que vai ser responsável por identificar monstros espalhados no nosso mundo.

Ainda vamos ver filmes com o Frankenstein, com o Homem Invisível, com o Drácula, o Monstro do Lago, o Lobisomen.

Todos eles terão um mesmo propósito, mas esse propósito a gente só vai conhecer nos próximos filmes. 

Nesse episódio de “A Múmia”, vamos conhecer Nick Morton, o personagem do Tom Cruise, que por obra do destino vai se tornar o escolhido da múmia e vai ser amaldiçoado.

Ele vai ter que iniciar uma jornada para se livrar dessa maldição, e logo de início vai se encontrar com o doutor Henry Jackel, personagem do Russel Crowe que é o famoso “o médico e o monstro”, e é quem cuida da Prodigium. Tudo, muito legal.

O filme nos mostra uma múmia com um certo diferencial, em primeiro lugar o que me chamou a atenção é que esta múmia é uma mulher e normalmente são homens mumificados. E nesse filme o visual dela é impressionante, a excelente ideia das duas pupilas nos olhos foi um diferencial e tanto.

O que prende a atenção no longa é justamente a possibilidade de novas histórias e quando a gente vai assisti-lo sabendo disso, acaba prestando uma atenção maior, para tentar perceber todos os possíveis detalhes, que nos dê algumas pistas do que pode acontecer.

Os efeitos especiais do filme são muito bons. Ele é cheio de ação e tem algumas imagens que saltam aos olhos de tão bem feitas, como por exemplo uma cena no avião, na qual somos inseridos nela e parece que a gente está caindo junto com os personagens. Muito bom mesmo.

Enfim, um filme que vale a pena ser visto, tanto pelos efeitos especiais, quanto pela aventura e principalmente pelas possibilidades que dele virão. Eu recomendo.

Título Original: The Mummy
Gênero: Fantasia/Aventura/Terror
Tempo de Duração: 1 hora e 51 minutos
Ano de Lançamento: 2017

Direção: Alex Kurtzman

Elenco: Tom Cruise, Sofia Boutella, Annabelle Wallis, Russel Crowe, Jake Johnson, Courtney B. Vance, Marwan Kenzari, Stephen Thompson.

RITA VAZ

TUDO SOBRE FILMESwww.ritavazm.blogspot.com.br

 

 


Página 1 de 44
Copyright © 2011 Acontece Curitiba. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por LinkWell.